População protesta contra péssimos serviços de transporte em São Carlos/SP

População protesta contra péssimos serviços de transporte em São Carlos/SP

20/02/2018 0 Por Notícias Portal InterBuss

• Com informações do G1 São Carlos.

Pelo menos oito ônibus foram parados pelos moradores do Bairro Cidade Aracy, na manhã desta segunda-feira (19), em São Carlos (SP).

Revoltados com a qualidade do serviço de transporte público prestado, a superlotação diária e os constantes atrasos das linhas, populares impediram os veículos de seguir viagem. Em janeiro, a prefeitura interviu na empresa Suzantur e mantém o serviço.

Protesto

De acordo com os manifestantes, os veículos passam lotados e não param nos pontos, deixando passageiros para trás. “Eu vou trabalhar e não sei que horas eu vou voltar. Na quinta-feira (8), eu cheguei em casa às 19h porque os ônibus passavam lotados e não paravam”, contou a faxineira Fabiana dos Santos.

Com a mobilização, centenas de pessoas foram impedidas de chegarem ao trabalho, escola e atividades agendadas, pois dependiam do transporte público. Entretanto, a ação foi aprovada por todos, já que a população está farta das dificuldades diárias enfrentadas por quem depende do serviço.

“Quando eu saio do meu serviço, eu não sei se vou conseguir ir embora. Não tem como. Eu tenho que ficar pedindo carona na pista, nas ruas para chegar na rodoviária e saber se tem ônibus para eu ir embora. Isso é uma humilhação. Nós não merecemos isso”, afirmou a diarista Milene da Silva Alves.

Reclamações

Os moradores do bairro se queixam do atraso no horário das linhas e a falta de ônibus para atender a todos que necessitam do serviço no Antenor Garcia, Eduardo Abdelnur, Planalto Verde e Cidade Aracy 1 e 2. De acordo com eles, o serviço piorou após a intervenção feita pela prefeitura.

Com apoio da Guarda Civil Municipal (GCM) e da Polícia Militar, os oito ônibus parados até as 9h, voltaram a circular. voltaram para a garagem, já que continuariam impedidos de circular normalmente pelos próprios moradores.

“Foi dito para eles que eles não poderiam intervir no direito de ir e vir das pessoas e quem quisesse entrar nos ônibus e continuar o seu percusso estaria liberado e a gente ia fazer a segurança para que esses ônibus saíssem, porém, poucas pessoas fizeram isso. Os onibus que não tiveram passageiros foi determinado que eles voltassem para a garagem”, explicou o comandante da Guarda Municipal, Michael Teruo Yabuki.

Intervenção

A Prefeitura de São Carlos publicou, no dia 23 de janeiro, um decreto no Diário Oficial no qual reconhece situação de emergência e assumiu o transporte público da cidade e a empresa Suzantur, até então responsável pelo serviço.

Após a manifestação no Cidade Aracy, cerca de 30 pessoas foram até a prefeitura e questionaram o prefeito Airton Garcia (PSB), que disse que o problema é antigo e a licitação para escolher a empresa que irá operar em definitivo na cidade só será realizada em 7 de março.

“É uma guerra! Se eu concordar com as empresas de cobrar R$ 4,30 e dar para elas R$ 1 milhão por mês, acalma tudo. Mas eu não acho que é uma atitude justa, eu acho errado. Então eu estou nessa luta olhando o lado da população”, afirmou.

Ele ainda disse que vai liberar a circulação de vans. “Nós estamos liberando as vans para fazer uma ‘meia sola’ para minimizar os problemas da população”, disse.

Mesmo com as explicações, os moradores não ficaram satisfeitos.

“Esses dias eu peguei um ônibus 19h30 e tinha uma mulher com uma criança de três meses sentada no motor, é um absurdo isso. Eu perguntei para ele desde quando está para ser resolvido isso. Eu acredito que ele teve tempo para isso, não precisava chegar ao caos que chegou”, afirmou a empregada doméstica Ivanilde Andréia Nunes.