Porto Alegre aumenta vida útil dos ônibus do transporte urbano de 10 para 13 anos

Porto Alegre aumenta vida útil dos ônibus do transporte urbano de 10 para 13 anos

10/05/2018 0 Por Notícias Portal InterBuss

• Com informações do Zero Hora.




Os vereadores de Porto Alegre aprovaram, nesta quarta-feira (9), um projeto de lei do Executivo que amplia o tempo de vida útil dos coletivos de Porto Alegre de 10 para até 13 anos. A proposta, que foi aprovada por 19 votos favoráveis e sete contrários, atinge principalmente veículos elétricos, híbridos, movidos a GNV ou similares, articulados e biarticulados — em função de serem mais caros e de menor valor para venda ao final da vida útil.

Entre as justificativas para estender a vida útil desses veículos, está o fato de os modelos articulados estarem mais adequados às diretrizes de eficiência no transporte urbano.

Por estabelecer novas regras para o tempo de utilização dos coletivos, o projeto também altera os períodos de vistoria realizados pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC). As regras valem tanto para ônibus que estão em circulação quanto para veículos que estão fora de circulação. Ônibus com zero a quatro anos incompletos terão de passar por vistorias a cada 120 dias; veículos com quatro a 10 anos, a cada 60 dias. Já os que atingirem 10 anos de vida útil deverão apresentar um laudo técnico a cada 12 meses. Veículos elétricos, híbridos, movidos a GNV ou similares terão vida útil máxima de 13 anos.

Além de propor normas relativas ao tempo de vida útil dos coletivos, o projeto de Nelson Marchezan estipula regras sobre higiene, limpeza e segurança.

No projeto, o prefeito afirma que os parâmetros atuais para transporte público na Capital, instituídos em 1964, estão totalmente desatualizados. Conforme o texto, as leis atuais sobre mobilidade priorizam a implantação de ônibus mais econômicos e menos poluentes, assim como veículos com maior conforto.

Marchezan garante que não haverá impacto tarifário com a adoção das novas regras, tampouco ocorrerá risco à qualidade dos serviços.

Durante a votação, os vereadores rejeitaram uma emenda da bancada do PSOL que previa redução da tarifa do transporte coletivo em caso de aprovação do projeto e o consequente aumento da vida útil dos ônibus da frota.