Viação Piracicabana é condenada a indenizar jovem por atropelamento em Santos

Viação Piracicabana é condenada a indenizar jovem por atropelamento em Santos

03/05/2018 0 Por Notícias Portal InterBuss

• Com informações do G1 Santos.




A Viação Piracicabana foi condenada a pagar indenização a uma jovem de 31 anos, atropelada por um ônibus da empresa no dia 16 de janeiro de 2013, no bairro Santa Maria, em Santos, no litoral de São Paulo. A vítima, que preferiu não ser identificar, teve um terço da perna esquerda amputada após o acidente.

A jovem, que na época tinha 25 anos, estava a caminho de um restaurante no momento do acidente. De acordo com seu depoimento, ela atravessava a Rua Indalécio Arruda Costa quando foi surpreendida por um coletivo, que vinha em alta velocidade da Avenida Nossa Senhora de Fátima. O depoimento de uma testemunha confirma as informações da vítima.

No processo, ela ainda relata que não recebeu nenhum auxílio da Viação Piracicabana e teve que arcar com diversos gastos. Porém, a empresa alega que a vítima não “relatou com precisão a dinâmica do acidente e agiu de forma imprudente e negligente ao proceder à travessia, assumindo o risco do acidente”.

Na sentença, o juiz reconhece a imprudência do condutor do ônibus e conclui que a autora comprovou o seu direito nesse caso. “O acidente era evitável e previsível ao motorista do ônibus, que tinha visão clara do quadro, consciência do perigo, conhecia o local dos fatos e não permitiu a autora realizar uma travessia segura”.

Sendo assim, a empresa foi condenada a pagar indenização por danos morais, materiais e estéticos, além de uma pensão vitalícia. A vítima deve receber o valor de R$ 30.124, devido aos gastos de colocação da prótese para auxiliar em sua locomoção, compra de cadeira de rodas, medicações e adaptação de veículo.

O juiz José Vitor Teixeira de Freitas, da 1ª Vara da Fazendo Pública de Santos, ainda decidiu pelo pagamento de pensão vitalícia no valor de dois salários mínimos desde a data do acidente, devido à incapacidade parcial e permanente. Quanto aos danos morais e estéticos, a Piracicabana deve pagar o valor de R$ 150 mil para cada.

Os advogados da vítima, Gabriel Dondon Salum da Silva Sant’Anna e Armando de Mattos Júnior, explicam que ainda cabe recurso por parte da empresa. O G1 procurou a Viação Piracicabana, que não se posicionou sobre o caso.