Empresa Rosa circula com frota reduzida em Tatuí/SP por ainda estar com pouco óleo diesel

Empresa Rosa circula com frota reduzida em Tatuí/SP por ainda estar com pouco óleo diesel

08/06/2018 0 Por Notícias Portal InterBuss

• Com informações do G1 Itapetininga.




Seis dias após a greve dos caminhoneiros, moradores de Tatuí reclamam que o transporte público não voltou ao normal na cidade. A empresa responsável pelo serviço trabalha com a frota reduzida.

Em nota, a empresa Rosa confirmou que apenas 70% das linhas urbanas estão rodando na cidade, pois o abastecimento de diesel da empresa ainda não está normalizado. Informou também que os ônibus devem circular normalmente a partir de segunda-feira (11).

Já de acordo com a prefeitura, em uma reunião com os representantes da Rosa, a empresa teria garantido que as linhas voltariam a funcionar normalmente até sexta-feira (8). A prefeitura disse ainda que não houve registro de reclamação sobre a superlotação nos ônibus.

Por causa da frota reduzida, a dona de casa Viviane Aparecida Rodrigues Gonçalves, que mora no bairro Congonhal, zona rural da cidade, conta que perdeu a consulta para o tratamento de bronquite que havia marcado há 4 meses.

“Perdi a consulta, pois eu se eu fosse não teria ônibus para voltar, teria que ficar o dia inteiro lá esperando, eu sairia da consulta por volta do 12h e o próximo horário de ônibus seria às 16h”, conta.

Segundo os moradores, antes eram 12 horários de ônibus disponíveis por dia, porém como a frota foi reduzida por causa da greve dos caminhoneiros, hoje são sete horários, sendo três pela manhã, um próximo às 12h, um a tarde e dois no período noturno.

A doméstica Francisca Fidélis precisa do transporte público para ir trabalhar e, desde a redução da linha, está chegando atrasada ao trabalho.

“Eu chego aqui [ponto do Mercadão Municipal] por volta das 8h e tenho que esperar até às 9h para pegar ônibus para ir ao meu trabalho. Chego lá por volta das 10h, muito atrasada. Quem tem carro é tranquilo, porém depende do ônibus sofre”, reclama.