Prefeitura de Curitiba estuda aumentar número de ônibus nas canaletas exclusivas

Prefeitura de Curitiba estuda aumentar número de ônibus nas canaletas exclusivas

31/07/2018 0 Por Notícias Portal InterBuss

• Com informações da Gazeta do Povo.




A prefeitura de Curitiba anunciou, na metade de julho, que o Ligeirão Norte-Sul deve se estender até o terminal do Capão Raso até março de 2019. Para isso, a previsão da gestão do prefeito Rafael Greca (PMN) é de que cinco estações-tubo sofram alterações: Silva Jardim, Dom Pedro I, Morretes, Carlos Dietzsch e Itajubá. Na primeira e na última, os tubos serão recuados para permitir a passagem de dois ônibus na canaleta enquanto outros dois veículos estiverem parados. As demais, por outro lado, serão desalinhadas – nos moldes do que já foi feito em 15 das 17 estações que vão do terminal do Santa Cândida até a Praça do Japão.

Mesmo que as outras cinco estações do trajeto entre a praça e o terminal do Capão Raso não passem pelo mesmo processo em um futuro próximo, o objetivo da prefeitura é fazer com que a ultrapassagem dos ônibus seja possível em toda a extensão da canaleta no eixo Norte-Sul.

“Com isso, o sistema se tornaria flexível, ampliando as opções de linhas que podem circular nesses espaços”, explica Olga Prestes, coordenadora do setor de transportes na supervisão de planejamento do Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

Hoje, cinco linhas circulam pela canaleta nesse eixo. Outras duas, de ligeirinhos, compartilham o espaço, mas não fazem paradas nas estações. Se a ultrapassagem for possível em toda a extensão do eixo, a prefeitura terá a opção de aumentar a circulação dos ligeirinhos.

Mais alterações

Outra mudança que deve ocorrer no futuro é a extinção de uma das estações-tubo desse eixo, a Herculano de Araújo. Esta é a última parada antes do terminal do Capão Raso. “A estação anterior, do Hospital do Trabalhador, deve ser remanejada. Com isso, as duas ficarão muito próximas, o que torna desnecessária a Herculano de Araújo”, afirma Olga.

Por enquanto, porém, a estação segue funcionando. A nova etapa do ligeirão, com previsão de conclusão para o ano que vem, terá sete pontos de parada, incluindo as duas nos terminais do Portão e do Capão Raso. O custo da obra é de R$ 15 milhões. A primeira parte da linha, entre o terminal do Santa Cândida e a Praça do Japão, foi inaugurada em março deste ano. O projeto final prevê que o ligeirão chegue até o terminal do Pinheirinho.