São Paulo registrou média de 328 falhas em ônibus urbanos por dia

São Paulo registrou média de 328 falhas em ônibus urbanos por dia

30/08/2018 0 Por Notícias Portal InterBuss

• Com informações do G1 SP. 

A cidade de São Paulo registrou 68.769 falhas de ônibus de janeiro a junho de 2018, segundo a SPTrans, empresa que administras os coletivos municipais. Ou seja, são 328 falhas por dia.

aulo

O valor representa um aumento de 31% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registradas 52.582 falhas, 290 por dia.

De acordo com uma empresa que opera na Zona Sul da capital, o que mais precisa de manutenção são os freios. Outros desgastes comuns são em lâmpadas sinalizadoras e sistema de tração e suspensão. Os mecânicos da empresa consertam cerca de 50 ônibus por dia.

“Uma boa parte da nossa frota vem, conserta e volta para trabalhar. Esses ônibus não ficam parados na garagem”, afirma José Nivaldo Azevedo, representante da empresa.

Nos pontos de ônibus é comum relatos de passageiros que já se depararam com ônibus quebrados.

Desde janeiro de 2018, os mais de 14 mil ônibus de São Paulo passaram a usar uma tecnologia embarcada chamada SIM – Sistema de Monitoramento Integrado, que permite à Prefeitura controlar em tempo real toda a frota. Isso mudou a forma de identificar falhas na operação.

“Não houve aumento de quebra, houve um aumento no registro de quebra”, afirma João Otávio Machado Neto, secretário municipal de Mobilidade e Transportes.

“Se o ônibus para, se ele ficar parado mais que meia hora, o sistema já interpreta isso como uma falha. Então esta informação é passada para o nosso centro de controle operacional. Se o ônibus ficar uma hora parado, aí a empresa é autuada”, diz.

As empresas operam os ônibus da capital hoje com um contrato emergencial que foi prorrogado por mais um ano no fim de julho. A nova licitação, no valor de quase R$ 60 bilhões, ainda depende da aprovação do Tribunal de Contas do Município (TCM).

“Teve todos os quesitos respondidos ao TC no prazo. O tribunal está fazendo uma avaliação de tudo o que respondemos e nós aguardamos agora as conclusões do tribunal para que a gente possa dar prosseguimento ao processo licitatório”, afirma o secretário.

Os Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano – que representa 15 empresas concessionárias – disse que, por dia, apenas 1% da frota apresenta algum problema. O sindicato afirmou ainda que o asfalto irregular e o vandalismo são os principais responsáveis pela quebra dos ônibus.