Crivella anuncia aumento da tarifa de ônibus no RJ e intervém no sistema BRT

Crivella anuncia aumento da tarifa de ônibus no RJ e intervém no sistema BRT

29/01/2019 0 Por Notícias Portal InterBuss

As passagens de ônibus no Rio passarão a custar R$ 4,05 a partir de sábado (2), conforme anunciou na tarde desta terça-feira (29) o prefeito Marcelo Crivella. Além disso, devido aos sucessivos problemas, Crivella divulgou que o sistema de corredores de ônibus BRT terá um interventor: o engenheiro e professor de políticas públicas Luis Alfredo Salomão.

Segundo Crivella, a decisão de intervir no sistema foi tomada com base nos recorrentes problemas e frequentes reclamações de passageiros. Superlotação, trechos sem operar, redução de frota, demora nos horários foram algumas das questões citadas.

O prefeito garantiu que a mudança no BRT tem como principais focos: segurança, redução do número de calotes e melhorias na estrutura. O município também analisa a possibilidade de implementar setor rosa nos ônibus articulados para coibir assédio a mulheres.

Calotes

O RJ2 mostrou na segunda-feira (28) que mais de 5 milhões de passageiros usaram o BRT sem pagar pelo serviço entre outubro e dezembro de 2018.

Em agosto, a prefeitura regulamentou a cobrança de multa de R$ 170 reais quem viaja de BRT sem pagar a passagem, e anunciou que a fiscalização começaria em outubro. Entretanto, a prefeitura só aplicou 133 multas nesse período, menos de duas por dia.

A Guarda Municipal alegou, na época, que precisava de impressoras e outros equipamentos para fazer a cobrança. O problema foi resolvido ainda em outubro. Mas, atualmente, na maioria das estações do não tem Guarda Municipal e nem são aplicadas multas.

A equipe de reportagem do RJ2 passou uma hora numa estação de BRT e flagrou muita gente fugindo da roleta. Um vídeo chegou a viralizar na internet ao mostrar um homem entrando sem pagar e levando um fogão no BRT.

A Guarda Municipal informou que, do início do ano até o domingo (27), flagrou 52 pessoas dando calote no BRT. O número de multas aplicadas desde que a lei entrou em vigor chega a 185.

A guarda disse ainda que os agentes já prenderam seis suspeitos nas estações – três por importunação sexual e três por furto.

O que diz o BRT

Em nota, o BRT Rio informou que “lamenta o descaso com que a prefeitura vem tratando nos últimos anos um sistema de transporte tão importante para a cidade e os seus milhares de passageiros, que não estão recebendo qualquer tipo de atenção do poder público, seja na falta de manutenção das pistas, seja na ausência de segurança pública, que não coíbe calotes, vandalismos, roubos, furtos e ataques às estações. A falta de um plano de segurança, que nunca foi feito, levou, por exemplo, ao fechamento de 22 estações na Avenida Cesário de Melo, em Campo Grande, e outra, Otaviano, em Madureira”.

O BRT disse ainda que há dois anos tenta alertar a prefeitura sobre a crise enfrentada pelo sistema e causada pela “falta de cumprimento da própria Prefeitura do Rio às obrigações contratuais”.

“Nesse período, oficializamos os diversos órgãos municipais sobre as condições precárias das pistas, que levam à degradação precoce da frota e impactam diretamente no bem-estar dos passageiros, além da falta de segurança provocada pela inoperância do poder concedente. Essa negligência da prefeitura, que não nos garantiu as condições mínimas para a prestação do serviço, nos levou inclusive a ajuizar uma ação civil ordinária contra o município, depois de havermos esgotado todas as vias administrativas – reuniões e ofícios – para resolver a situação”, dizia a nota.

As informações são do G1.