Prefeito Marcelo Crivella acusa empresas do BRT de ter paralisado 100 ônibus para compensar queda na arrecadação

Prefeito Marcelo Crivella acusa empresas do BRT de ter paralisado 100 ônibus para compensar queda na arrecadação

25/02/2019 0 Por Notícias Portal InterBuss

O prefeito Marcelo Crivella afirmou, nesta segunda-feira, que estão faltando 100 ônibus no sistema BRT. O prefeito disse que pode estar havendo uma retirada dos veículos para compensar, com ônibus lotados, a queda de 100 mil passageiros no sistema. Empresários do setor, no entanto, dizem que 88 veículos pertencem a empresas que faliram.

— Os operadores alegam que as calhas estão ruins e que quebraram os ônibus. Nossa providência foi consertá-las. Pelo lado da intervenção, há um coisa que precisamos investigar. O número de passageiros caiu em 100 mil. Nós achamos que por parte dos operadores pode estar havendo uma retirada dos ônibus para compensar os 100 mil passageiros a menos com ônibus lotados. Então, nós estamos fazendo inspeções nas garagens para ver esses 100 ônibus quebrados. Se estão quebrados, onde estão? Qual é o dano? Como é que podemos arrumar? — indagou

Crivella confirmou o remanejamento de dez ônibus do BRT Transolímpico para o Transoeste na manhã desta segunda . Metade deles foi devolvida após a reclamação dos passageiros. Em redes sociais, passageiros relataram que enfrentaram intervalos longos e coletivos cheios.

— Hoje tomamos essa atitude de tirar dez da Transolímpica para Transoeste e teve essa reação (de passageiros). Devolvemos metade.

O prefeito ressaltou que a intervenção no BRT está investigando profundamente a operação, visando o funcionamento completo do sistema, a partir da abertura de estações da Transbrasil

— Quando fiz a intervenção, foi pensando na Transbrasil, que entra em operação em outubro. Onde está o ônibus da Transbrasil? Se eles não têm dinheiro para investimento, não podem operar o sistema, temos que fazer uma licitação nova. O que não podemos é ter uma Transbrasil que gastamos R$ 1 bilhão, sem operação — enfatizou.

Patrimônio de empresas falidas

Já empresários que operam no Rio informaram que 88 desses 100 ônibus pertencem a empresas que operavam no sistema BRT e faliram. Esses coletivos estão indisponíveis porque integram o patrimônio dessas firmas e podem ser vendidos para cobrir dívidas. Os coletivos pertencem às seguintes empresas: Algarve (24), Litoral (26), Santa Maria (36) e Bangu (2).

Intervenção desde 30 de janeiro

Desde o dia 30 de janeiro, a prefeitura intervém no sistema BRT. Na ocasião, o prefeito justificou as medidas como reestruturação do sistema de transporte, e prometeu apresentar em 180 dias um diagnóstico para estabelecer um plano de ação com medidas que melhorem os serviços.

As informações são do O Globo.