Cobradora é multada por usar gorro durante trabalho em estação-tubo de Curitiba

Cobradora é multada por usar gorro durante trabalho em estação-tubo de Curitiba

25/06/2019 0 Por Notícias Portal InterBuss

Uma cobradora de ônibus de Curitiba foi multada porque estava usando uma touca vermelha para se proteger do frio enquanto trabalhava em um estação-tubo da capital. Segundo regulamento da Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), é permitido o uso de gorro para se proteger do frio desde que sejam nas cores cinza, azul escuro ou preto e sem inscrições.

Cobradora de ônibus recebeu multa

Para outra cobradora de ônibus, que não quis se identificar por medo de represálias, a categoria que tem uma salário de aproximadamente R$ 1.396 recebe várias multas abusivas. “Tirar o dinheiro de um trabalhador, que trabalha para colocar seu pão, seu alimento dentro da sua casa, pros seus filhos. A gente tenta fazer o melhor pra aí ser multada. Eu não concordo. Eu acho isso uma desumanidade”, declarou inconformada ao contar que os valores vão até R$ 930.

Segundo Dario Pereira, do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc), eles tentarão negociar a multa. “Vamos convocar a operadora para que compareça ao nosso setor de multa para a gente recorrer a esse valor. A multa é muito pesada, em valores fica muito pesado para o cobrador. Então a gente vai tentar tornar a multa uma orientação”, declarou.

“Eu acho que os fiscais têm que utilizar o bom senso e orientar o cobrador se ele estiver fazendo alguma coisa fora do padrão. Não chegar e aplicar uma multa direto”, disse Pereira que fez questão de ressaltar que os cobradores de ônibus não recebem mais o kit inverno.

Cobradores de ônibus trabalham sem estrutura nas estações-tubo

O que já foi sinônimo de inovação, hoje é visto como falta de estrutura. Nas estações-tubo os cobradores de ônibus trabalham:

  • sem local para ir ao banheiro;
  • sem nenhuma segurança e os locais são constantemente assaltados;
  • no verão eles precisam enfrentar calor extremo e no inverno o frio intenso;
  • são pressionados para evitar os fura-catracas, pessoas que pulam a catraca e usam o ônibus sem pagar, sendo que muitas vezes esses indivíduos são violentos;
  • precisam conferir os documentos de usuários que possuem isenção no transporte público como idosos e deficientes físicos. O que, de acordo com os trabalhadores, é praticamente impossível no horário de pico. Entre outras dificuldades que a categoria enfrenta;

O que diz a prefeitura de Curitiba sobre

Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que está previsto no regulamento do sistema de transporte coletivo a possibilidade de motoristas e cobradores usarem boné, boina ou touca desde que o acessório tenha cores discretas e não possua inscrições de qualquer natureza. A administração municipal ainda declarou que a multa não se trata necessariamente de uma multa com valor pecuniário, já que a empresa pode aplicar na cobradora de ônibus uma medida saneadora (curso, treinamento, palestra) e encaminhar para a URBS em substituição ao pagamento da multa.

As informações são da RIC Mais.