Veja 10 cidades brasileiras para visitar de ônibus

Veja 10 cidades brasileiras para visitar de ônibus

22/08/2019 0 Por Notícias Portal InterBuss

O transporte rodoviário no Brasil passa por uma malha viária de 1.720.700 km de estradas e rodovias nacionais – a quarta maior do mundo – , portanto, caminhos para circular por terra não faltam. Mas quando vale a pena abrir mão do avião ou de pegar a estrada dirigindo e investir num roteiro de ônibus?

G1 ouviu especialistas para elencar dez opções em que se aventurar nas rodoviárias tem lá suas vantagens. Há opções de praia, como Prado e Balneário Camboriú, e de frio, como em Canela, e roteiros mais campestres, como Capitólio.

Coordenador do curso de Turismo da Estácio, Carlos Eduardo Guimarães explica que, em sua maioria, os roteiros rodoviários são mais curtos – de três a cinco noites –, dependendo da rodoviária de saída.

“Como houve um barateamento dos bilhetes aéreos, a malha viária teve que se mexer para diminuir a duração de roteiros de ônibus, deixando-os com opções mais curtas, para manter a competitividade. E, dependendo da categoria e da empresa escolhidas, há ônibus de padrão europeu”, destaca.

Diretor de uma empresa de turismo e há 30 anos no mercado, Marcelo Martins é tácito: “Há destinos, sobretudo os mais curtos, em que, uma vez que você desce na rodoviária, não precisa mais se preocupar com meios de transporte”. A seguir, dez destinos pelo Brasil em que a viagem de ônibus é uma boa opção.

1) Cidades Históricas de Minas Gerais

Alguns dos caminhos de Tiradentes em Vila Rica podem ser refeitos em Ouro Preto.  — Foto: Thais Pimentel/G1

Alguns dos caminhos de Tiradentes em Vila Rica podem ser refeitos em Ouro Preto. — Foto: Thais Pimentel/G1

Ideal para viagem totalmente terrestre, o roteiro pelas cidades históricas de Minas Gerais é um combo de tranquilidade, cultura e encontro com o passado. Para quem sai de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia, o conceito de “road trip” pode ser feito por completo. Quem está mais longe, pode descer nos aeroportos de Belo Horizonte e aí continuar o roteiro de ônibus.

Entre os destaques estão Ouro Preto, São João Del Rey, Congonhas e Mariana. Quase sete meses após o rompimento da barragem de Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o museu de Inhotim ainda segue atraindo muitos visitantes.

O que fazer no circuito além do museu? Entrar nas antigas minas de ouro, conhecer a Casa dos Inconfidentes, o Memorial Tancredo Neves, a Rua das Casas Tortas.

As viagens entre algumas das cidades não são longas. De São João Del Rey a Ouro Preto, por exemplo, dura cerca de três horas. A passagem de ônibus custa R$ 70.

E de Ouro Preto a Mariana são apenas 30 minutos, por R$ 4,75.

2) Rio de Janeiro, saindo de São Paulo

Em Angra dos Reis o turismo pode conhecer Ilha Grande, fazer excursão de lancha, passeio de escuna e curtir ilhas paradisíaca — Foto: Arquivo Pessoa/Juan Tenório

Em Angra dos Reis o turismo pode conhecer Ilha Grande, fazer excursão de lancha, passeio de escuna e curtir ilhas paradisíaca — Foto: Arquivo Pessoa/Juan Tenório

Optar ir de ônibus para o Rio de Janeiro – numa viagem de ao menos três noites – é uma boa opção, sobretudo por causa do caminho de ida, optando por uma rota que passe pela Costa Verde.

Assim, o turista consegue conhecer Paraty, Angra dos Reis e Mangaratiba – além do roteiro que já tenha planejado para a capital fluminense.

Da Rodoviária do Tietê, em São Paulo, até a rodoviária de Paraty, por exemplo, são cerca de 3h50 (275 km). Há bilhetes por cerca de R$ 130 cada trecho.

Na cidade litorânea, é possível conhecer cidade histórica, andar de escuna, lancha e fazer mergulhos. A sequência do caminho até a rodoviária Novo Rio, na capital, é de mais 3h50.

A grande maioria dos roteiros de volta, por sua vez, passam pela Rodovia Presidente Dutra, impossibilitando a vista panorâmica pelo litoral. Em compensação, há possibilidade de parar no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida. Ou seja: três viagens em uma só.

3) Sul da Bahia

Cerca de 20 mil baleias jubarte devem passar pelo litoral da BA durante temporada de reprodução — Foto: Enrico Marcovaldi/Instituto Baleia Jubarte

Cerca de 20 mil baleias jubarte devem passar pelo litoral da BA durante temporada de reprodução — Foto: Enrico Marcovaldi/Instituto Baleia Jubarte

É um destino que dispensa os aviões, tanto para quem está no Sudeste quanto para quem vai do Nordeste.

Há opções de hospedagem mais em conta na Costa das Baleias, como em Prado, Alcobaça, Caravelas, Nova Viçosa e Mucuri.

E opções luxuosas em Trancoso, distrito de Porto Seguro, e mais “pé na areia”, em Caraíva. Há a possibilidade, inclusive, de fazer todos esses percursos numa única temporada de férias.

Tem ônibus saindo de Prado a Porto Seguro, por exemplo, com uma viagem de cerca de quatro horas. O turista pode conhecer o Parque Nacional Marinho de Abrolhos, a Ponta do Corumbau – na maré baixa, um banco de areia emerge e a chamada ponta do Corumbau avança por até 2 km mar adentro – e a Praia do Espelho.

4) Ilha do Mel

Ilha do Mel reserva encantos mesmo fora de temporada (parte 1)

Ilha do Mel reserva encantos mesmo fora de temporada (parte 1)

A Ilha do Mel é uma opção para sair do óbvio ao visitar Curitiba usando ônibus.

Da capital paranaense até a Baia de Paranaguá, onde fica a ilha, saem uma dezena de ônibus desde bem cedo, 5h, até o fim da noite, por volta das 23h. A viagem dura 1h30 e as passagens podem variar de R$ 20 a R$ 34 por trecho.

Da cidade para a ilha, aí não tem jeito: é preciso pegar um barco saindo de Paranaguá ou do Pontal do Paraná. São várias praias: a da Fortaleza (mais deserta), Do Farol, Encantados (agitada), de Fora das Encantadas, Grande (para surfistas), e Do Miguel. A ilha recebe um máximo de cinco mil pessoas por dia – manter o ar “roots” e a preservação da natureza.

5) Serra Gaúcha, saindo de Porto Alegre

Sob o frio da Serra Gaúcha, Gramado oferece farta programação ao turismo: do Lano Negro, ao parque de neve Snowland — Foto: Gramado Inesquecível

Sob o frio da Serra Gaúcha, Gramado oferece farta programação ao turismo: do Lano Negro, ao parque de neve Snowland — Foto: Gramado Inesquecível

O ônibus pode ser uma boa opção mesmo que o roteiro inteiro não seja feito de forma terrestre, como é o caso de quem pousa no aeroporto de Porto Alegre, por exemplo, e pode conhecer a Serra Gaúcha.

Há ponto de partida no próprio aeroporto, com passagens vendidas numa média de R$ 50, tendo Gramado como destino.

De lá, o turista pode se programar para conhecer Canela, Bento Gonçalves e Garibaldi. O trajeto Gramado-Bento sai por R$ 14,53 e dura 1h10.

No roteiro, Vila do Papai Noel, Snowland, Mini Mundo, rodízios de foundue e galeto, plantações de uvas, degustação de vinhos.

No retorno, os ônibus partem das rodoviárias de Gramado e de Canela e deixam os passageiros no Aeroporto Salgado Filho depois de uma passada na rodoviária de Porto Alegre.

6) Balneário Camboriú

Praia de Balneário Camboriú é uma das mais visitadas do Estado — Foto: Pixabay

Praia de Balneário Camboriú é uma das mais visitadas do Estado — Foto: Pixabay

Não são tanta as opções de translado aéreo que possibilitem preços tão competitivos. E, mesmo que o turista opte pelo avião, vai precisar de transporte terrestre em um dado momento. Por isso especialistas indicam o ônibus.

Saindo de São Paulo, por exemplo, há roteiros que pernoitam em Curitiba, depois seguem pela Serra do Mar, até Santa Catarina, parando em Joinville, Florianópolis e Balneário Camboriú. Nesta última cidade, destaque para as praias Central, de Laranjeiras, Taquarinhas, Taquaras, e Do Pinho e o parque de diversão Beto Carrero World.

De São Paulo a Camboriú – considerando um roteiro sem paradas – a viagem dura uma média de 10 horas com passagens que vão de R$ 100 a R$ 260 cada trecho.

7) Vale da Mantiqueira Mineiro

Cachoeiros e mata nativa: Vale da Mantiqueira é destino para relaxamento — Foto: Hotel Fazenda Vale da Mantiqueira

Cachoeiros e mata nativa: Vale da Mantiqueira é destino para relaxamento — Foto: Hotel Fazenda Vale da Mantiqueira

Ideal para quem quer passar um final de semana de relaxamento. Depois que chegou ao Vale da Mantiqueira, em Virgínia, Gonçalves, São Bento do Sapucaí e Monte Verde, dificilmente o turista vai precisar de mais algum tipo de transporte terrestre durante a estadia, uma vez que o foco são os hotéis fazenda – há opções de spa.

Há opções de caminhadas pelo meio das árvores e flores, charretes e cavalos, além da colheita de hortaliças. Na região ficam a Pedra Redonda, a cachoeira Véu das Noivas, a Serrinha do Alambari e Zoo das Aves. O tempo de viagem e os valores vão variar do ponto exato do Vale em que o turista decidir de hospedar.

8) Capitólio

Reveja: Paraíso perdido é local encantador em Capitólio

Reveja: Paraíso perdido é local encantador em Capitólio

Em Capitólio (MG), os principais atrativos são as cachoeiras e os os cânions. Destaque para o Paraíso Perdido, um complexo rodeado por cânions e sequências de cascatas, cachoeiras e 18 piscinas naturais.

Assim que chegar a Capitólio, o turista consegue se locomover fechando alguns pacotes turísticos locais, de veículo 4×4 e lancha. A viagem, saindo de São Paulo, dura cerca de oito horas e custa em média R$ 150 cada trecho.

9) Conservatória

Fernando Gabeira visita Conservatória (RJ)

Fernando Gabeira visita Conservatória (RJ)

Conservatória é um distrito da cidade de Valença, no Rio de Janeiro, e fica 142 quilômetros da capital fluminense. Atraindo mais turistas da terceira idade, é repleta de hotéis-fazenda, e fazendas centenárias do Vale do Café.

É também a cidade da seresta, com seresteiros na rua, entoando canções de amor, à tarde e à noite. Depois de desembarcar de ônibus, o turista também não precisa de novos meios de transporte. Saindo do Rio de Janeiro, a viagem demora cerca de duas horas e custa R$ 53 o trecho.

10) Búzios e Arraial do Cabo

Praia do Forno, em Arraial do Cabo, no RJ — Foto: Rodrigo Marinho/G1

Praia do Forno, em Arraial do Cabo, no RJ — Foto: Rodrigo Marinho/G1

Ir a Búzios, na Região da Costa do Sul do Rio de Janeiro, também é uma boa opção porque, uma vez que o turista desce na rodoviária, consegue fazer o restante da viagem a pé, apesar de haver uma farta frota de táxi no balneário. Por lá, o turista pode curtir a Rua das Pedras, a Praia da Armação, a Praia da Ferradura, as boates e bares da Orla Bardot e fazer passeios de barco.

E de Búzios saem passeios de barco até Arraial do Cabo, que chama atenção por suas águas transparentes. Quem preferir fazer o trajeto até Arraial por terra também pode usar o ônibus intermunicipal.

As informações são do G1.