Blitz encontra vários ônibus circulando sem cobradores em Belo Horizonte

Blitz encontra vários ônibus circulando sem cobradores em Belo Horizonte

10/09/2019 0 Por Notícias Portal InterBuss

Uma blitz na Estação do Move da Pampulha, em Belo Horizonte, na manhã desta segunda-feira (9) flagrou vários ônibus circulando sem cobradores. A medida contraria uma lei municipal de 2012.

Representantes da Comissão de Transporte da Câmara Municipal de Belo Horizonte e da Empresa de Transporte e Trânsito da capital (BHtrans) fizeram a fiscalização para saber se as empresas de ônibus estavam cumprindo a exigência de manter um cobrador em cada veículo, pelo menos no horário de pico.

“Porque os motoristas não conseguem mais trabalhar em Belo Horizonte sem trocador. Eles estão surtando, eles estão ficando doentes e eles não conseguem mais trabalhar. Então, sem trocador, ônibus não vai rodar em Belo Horizonte. E mesmo quando for a bilhetagem eletrônica 100%, nós precisaremos de agente de bordo, para que possa continuar ajudando uma pessoa com deficiência, um idoso, uma pessoa que tem a mobilidade reduzida para entrar e sair do ônibus”, disse o vereador Jair di Gregório, vice-presidente da Comissão de Transporte da Câmara Municipal.

Somente no primeiro semestre deste ano, segundo a BHtrans, foram emitidas mais de cinco mil multas pela falta de cobrador. O valor da multa para este tipo de infração é de R$ 688,51.

Os veículos flagrados sem cobrador têm a permissão para rodar suspensa e os ônibus são levados pelos próprios motoristas de volta para a garagem da empresa.

“Ele corrigindo esse problema, ou seja, tendo um agente para trabalhar, ele pode voltar para a operação. Aí é entregue a autorização de tráfego para ele e ele pode voltar para operação”, explicou Marcos Vinícius da Silva, assessor da BHTrans.

Após denúncias que alguns ônibus estavam circulando sem o profissional, a Prefeitura de Belo Horizonte determinou, através de comunicado, que as empresas de ônibus contratassem, até o fim de setembro, 500 cobradores, sem desvio de função e de maneira definitiva.

Algumas das empresas já começaram a contratação. Em uma das vagas anunciadas, a função é de cobrador, mas é exigido que o candidato tenha carteira de habilitação tipo D, necessária para motoristas de ônibus.

Anúncio de contratação de cobrador de ônibus em Belo Horizonte, mas exige carteira de habilitação tipo D, específica para motoristas de ônibus — Foto: Reprodução/TV Globo

Anúncio de contratação de cobrador de ônibus em Belo Horizonte, mas exige carteira de habilitação tipo D, específica para motoristas de ônibus — Foto: Reprodução/TV Globo

A reportagem entrou em contato com a empresa sobre a vaga e, na conversa, fica claro que a função de cobrador pode ser alterada depois.

  • “[Produtor] Boa tarde, quem fala?
  • [Atendente] Tais.
  • [Produtor] Tais, meu nome é Gustavo. Eu estava interessado em deixar um currículo com vocês. Eu já fui trocador e eu estava interessado em voltar a trabalhar com isso, sabe?
  • [Atendente] Sim Gustavo. Você tem a carteira?
  • [Produtor] Não tenho a carteira. Antes não pedia. É só de cobrador, não é de motorista.
  • [Atendente] Entendi. Nesse momento, Gustavo, com essa retomada aí dos cobradores a gente está pegando somente quem tem a CNH D porque a gente visa justamente formar aí, né, quem deseja ter a profissão de motorista. Então a gente conseguir suprir também a nossa carência de motorista. Então, nesse momento, está tendo essa restrição de somente quem tem a CNH D.
  • [Produtor] Entendi. Mas aí… a pessoa começa como trocador e depois é treinada para motorista?
  • [Atendente] Exatamente, isso. O objetivo é esse. Ela vai passar pelo treinamento, né, formação e aí, tendo um bom desempenho, receber a promoção para motorista.

“Eles podem contratar sim, com a carteira D e E, motoristas. Agora, trocador não é parâmetro de contratação. Trocador, ele não é obrigado a ter carteira de motorista. Na verdade, estão contratando manobrista para colocar eles depois de um cursinho rápido, dirigindo para a população de Belo Horizonte, e muitos deles sem experiência, com carteira nova, colocando a minha e a sua família em risco”, denunciou Jair di Gregório.

Em contato com a reportagem, a empresa Viação Nova Suíssa, que estava oferecendo a vaga descrita acima, disse que a carteira de habilitação tipo D não é uma exigência, e sim uma preferência.

A empresa afirmou ainda que possui um sistema de formação de profissionais e que cobradores podem se tornar motoristas, mas que, neste caso, outros cobradores serão contratados para a vaga.

Em nota, o Sindicado das Empresas de transporte de passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH), informou que orientou as empresas associadas a circularem com agentes de bordo nos horários determinados pela legislação. O sindicado ainda disse que, durante o dia, algumas linhas com as que integram o Sistema Move as alimentadoras, não precisam do cobrador porque nelas o passageiro não faz pagamento em dinheiro.

A BHtrans informou que cumpre o papel de fiscalizar e multar as empresas que estão circulando sem cobradores nos dias e horários exigidos por lei.

O cidadão que flagrar um ônibus sem cobrador pode fazer uma denúncia pelo telefone 156.

As informações são do G1.